Gostava de comprar casa nova ou trocar de casa e precisa de financiamento? Contacte-me: 926 80 90 92 | Nelson Favas Consultor Financeiro
Saiba como, contacte-me

08 maio 2007

Hip Hop - Battles vs bons tempos

VS


=

Saudades dos battles, onde a capacidade lírica e metafórica dos mestres de cerimonias impingia violência verbal onde os insultos são sempre demasiado sofisticados, onde a imaginação comparativa não tem limites, para pessoas mestras em cultura urbana em que a vida passa está sempre entre a luta contra a indiferença e descriminação e um bloco de notas, onde qualquer ideia tem de ser escrita, onde o sono é perturbado apenas para registar nas folhas soltas um verso.

Todo este cenário deixa em mim algumas saudades...
ok, eu sei que nem sempre esses battles terminavam em apenas belos momentos de poesia critica e para muitos, aqueles que estavam presentes e que não viviam o Hip Hop, como nós "Mc's", as linhas verbais eram traduzidas em actos de pugilato onde a “versologia” era trocada por uma qualquer equação física que envolvia velocidade multiplicada pela massa corporal humana confinada a um punho cerrado contra a cara de outra pessoa, tudo isso porque eram alimentados pela a força das metáforas e comparações usadas nos "agitos" e a compreensão dos que circundavam aquele momento era escassa, tão escassa que não viam de que aquilo era para nós apenas mais um teste, um teste á nossa capacidade de improviso, onde quem melhor se desenrascasse ficaria enaltecido perante todos os outros, mas não passava disso a violência era somente em forma de palavras, aquela que machuca mais que qualquer forma de violência, aquela que bem aplicada faz alterar pensamentos e formas de ser, aquela que muda. Esses grupos de pseudo-amigos, geravam confusões que levaram a muitos problemas e cenas menos próprias a apenas uma troca de versos, porém recordo saudosamente esses momentos.


9 comentários:

Jaleco disse...

Fonix...estes gajos são doidos!!! Mas q bela assembleia, só q depois, o q é q se converte em música decente ou letras verdadeiramente unicas?!?!? Hmmm...muito pouco

Nelson Favas disse...

De facto jaleco para o publico em geral dos "confrontos" pouco ou nada é extraído para uma letra decente que assente numa base musical, mas são aqueles momentos que distinguem a imaginação dos Mc's, perante todos os apreciadores do hip hop. Nos casos referidos são dois bons Mc's que andam no movimento hip hop nacional há já algum tempo com alguns temas considerados marcos.
No entanto uma visualização mais acentuada do clip consegues ver que estavam também presentes no momento outros gurus, nomeadamente e referindo talvez o que mais se sobressaiu, Sam the kid.
Este é mais um momento de regresso ás origens do hip hop, onde as zaragatas são trocadas por poesia controversa. É um momento de destinação dentro do movimento, se a coisa correr bem és visto com outros olhos, ganhas maior probabilidade de aquilo que produzes underground ter maior saída, pois afinal quem acaba de lançar foi o fulano que “derreteu” completamente o “cicrano”. E também ninguém assiste a estes “battles” de bloco e caneta na mão para copiar ou extrair ideias e os que o fazem são desde logo considerados os “fakes” e em breve alguém os derruba/escorraça do movimento com um ou dois versos.

Jaleco disse...

Acredito em ti...eu ñ estou muito por dentro do movimento hip-hop, mas sim também visualizei o Sam the Kid :p!! E 2 ou 3 gajos q entraram no seu ultimo video!

Em termos d artistas q eu ouça, ou tenha ouvido...Da Weasel (até ao Redefinições), Sam the Kid, Valete, algum d Boss AC (o último álbum) e Daelema (alguns sons)! E fico-me por aqui

Nelson Favas disse...

Espantado de qualquer forma, mostra pelo menos que conheces o lado que sai cá para fora, aquele que vende... Aquele que faz com mais pessoas apareçam no meio, uns envergando pelo caminho correcto outros pelo errado :)

Jaleco obrigado por passares por aqui.

Mafa disse...

Eu acho que não sei apreciar Hip-hop :/

Nelson Favas disse...

Mafa, é compreensível fica ai uma letra que diz qualquer coisa sobre o hip hop (de salientar que já tem uns bons anos é para ai de 97 a letra)...

"Dedicatória dos Mind Da Gap"

Tudo bem no país à beira mar plantado
Até aparecer algo de novo, nunca identificado
Hip Hop, muitos gostaram, outros não
Talvez seja por não ser de fácil compreensão
Que é isto? Ninguém canta, ninguém toca instrumentos
Graffiti, Breakdance, estranhos, estranhos comportamentos
Só se ouvem palhaços comerciais
Que não representam, artigos copiados de revistas,
outros que inventam.
Dou dicas directamente da fonte p'ra se saber
Que é isto afinal, que estamos aqui a fazer.
Hip Hop, simplesmente, não é como o rock,
Não adianta comparar-nos, ponto final, Stop!
Ninguem toca quase nada,ou até mesmo nada.
Temos um sampler p'ra sacar o que mais nos agrada
Rimas ricas ou pobres, que não obedecem à métrica,
Sem estrutura convencional de quem especifíca,
Uma maneira de viver, p'ra não esquecer,
Com pormenores que nem todos conseguem entender.
Não importa quem se gaba, mas quem o faz melhor,
É indiferente raça, credo, estatuto ou côr.
Por favor, poupem comentários ignorantes,
Tirem dúvidas, se vão falar é melhor pensar antes.
Entenda-se que isto é delicado como cerâmica,
A seguir ao refrão, Ace explica-vos a mecânica.

O que eu precisava, era mesmo,
alguém assim como tu.
Eras o estilo certo, para mim,
Quero ficar contigo até ao fim.
Nunca tive ninguém, como tu,
Mas sempre te procurei,
Agora que te encontrei, que te ouvi,
Quero ficar contigo até ao fim.

x1

Hip Hop, o meu carborante, a língua,o carborador Cérebro,
a vávula de admissão, a perícia, a injecção,
Tenho amor pela profissão, profissionalizo um hobby,
Os versos, a minha pressão, Mind da Gap são o meu lobby.
Os modelos, a gasolina, falsos, a estricnina.
Nova Iorque, a box, Costa Este, a anfetamina.
Em 73, o nascimento do bólide e condutor
Eu guio o estilo e estilizo-o sem pudor.
Os primeiros MC's, meus co-pilotos particulares
Pioneiros, as raízes destes ritmos singulares.
O lubrificante que nos dá gás como um gaseificante,
Hip Hop é o meu vício, o teu é o refrigerante.
Produtores de Breakbeats,com sistemas de som ambulantes,
Faziam festas no Bronx, em ambientes beligerantes.
Mais tarde vieram os MC's, animar como GTi's
Novo sistema de motorização, os rappers são V.I.P's.
Nas Escobar, meu par, bebe Asti Gancia num Lancia
Enquanto os Mobb Deep, mandam shook ones para a ambulância. KoolHerc, não ia adivinhar,
o que estava ali a criar,
Raekwon e Method Man, combustível p'ra injectar.
Biggie Smalls,acaba o rol dos favoritos de Nova Iorque,
Tenho tamanho torque, que figuro na lista da Autosport.
A potência que declaro, torna-me raro com'um Jaguaro,
Se me enganei não reparo, o que vos digo é sempre claro. Velozcom'um Lamborghini,
conto-te a história como Fellini,
Junto a minha voz aos reais, enfio os falsos num Mini.
Necessitas de cinto de segurança,
isto não é música de dança, dedicatória p'ó Hip Hop,
a história que aqui s'avança.

O que eu precisava, era mesmo,
alguém assim como tu.
Eras o estilo certo, para mim,
Quero ficar contigo até ao fim.
Nunca tive ninguém, como tu,
Mas sempre te procurei,
Agora que te encontrei, que te ouvi,
Quero ficar contigo até ao fim.

x2

Mafa disse...

Sabes, queria-me poupar a comentários ignorantes sobre um tema que não estou por dentro, mas já agora dou a minha opinião e agradeço o facto de teres postado uma letra para eu ler.
Realmente acho que actualmente, quase toda a gente ou pelo menos as pessoas interessadas acham que sabem fazer umas rimas, penso que para alguns é como um rótulo que querem ter. Não sei se é isso que os Mind da Gap criticam mas é isso que me parece. Parece-me ainda que as letras são uma tentativa de manipulação de opiniões e atitudes, dizem-se coisas da maneira que se sente essa talvez seja a liberdade do hip-hop, e isso, talvez seja o que mais me agrada. No entanto, não é um dos meus estilos de música favorito, mas oiço, só que não acho que valha a pena ouvir por ouvir sem perceber, afinal a essência de tudo isto é ter uma mensagem por trás.

Nelson Favas disse...

Mafa, acho que já percebeste o que é o hip hop, não é que eu queira explicar-te e/ou impigir-te seja o que for, mas pelo menos que compreendas já não é mau e esse ponto já atingiste quando disses-te no final a frase que resume o estilo musical "a essência de tudo isto é ter uma mensagem por trás"

Eu acho que é tal e qual como todos os outros estilos musicais (embora Hip Hop para mim seja um pouco mais que um estilo musical, pois tem diversas vertentes... warever)há quem faça e represente bem o estilo e há outros que por e simplesmente não. Mas isto daria pelo menos para encher umas 100 paginas com uma opinião minha e fundamentada com casos reais.

Mafa disse...

hehe.. ;)

Gostava de reduzir as suas despesas com creditos? Contacte-me: 926 80 90 92 | Nelson Favas Consultor Financeiro
Saiba como, contacte-me